Premium Joomla Template by iPage
  • Seja Bem-vindo à Rede Ibero Americana de Estudo em Polos Geradores de Viagens.
  • Seja Bem-vindo à Rede Ibero Americana de Estudo em Polos Geradores de Viagens.
  • Somos um núcleo constituído por universidades de 9 Países Ibero Americanos.
  • Contamos com o patrocínio do CNPQ e da Faperj e várias entidades colaboradoras.
  • Contamos com o patrocínio do CNPQ e da Faperj e várias entidades colaboradoras.
  • Consulte as novas informações nas várias seções. Obrigado!

Livro “Transporte, Mobilidade e Desenvolvimento Urbano”

A Rede Ibero-americana de Estudo em Polos Geradores de Viagens tem o prazer de convidá-lo a participar do lançamento do Livro denominado “Polos Geradores de Viagens orientados à Qualidade de Vida e Ambiental: Modelos e Taxas de Geração de Viagens”, que foi elaborado por mais de 50 pesquisadores de 16 renomadas Universidades de cinco países (Brasil, Argentina, Colômbia, Portugal e Venezuela).
Esta Obra (ISBN: 978-85-7193-305-7) foi publicada pela Editora Interciência (http://www.editorainterciencia.com.br/), fruto de uma pesquisa patrocinada pelo CNPq e Faperj.
Seu lançamento ocorrerá no dia 29 de outubro, das 15:00 às 19:30 horas,  durante a realização do Congresso da Anpet que se realizará em Joinville – SC (http://www.xxvianpet.org.br/).
Licinio da Silva Portugal
Organizador do Livro
image
A Rede Ibero-americana de Estudo em Polos Geradores de Viagens tem o prazer de informá-lo sobre o lançamento do Livro denominado “Transporte, Mobilidade e Desenvolvimento Urbano”, que foi elaborado por 22 pesquisadores de 10 renomadas Universidades de cinco países (Brasil, Argentina, França, Reino Unido e Uruguai): Adriana Scovino da Rocha, UFRJ; Ana Paula Borba Gonçalves Barros, UniCEUB; Ana Stéfany da Silva Gonzaga, UFG; Andréa Justino Ribeiro Mello, CEFET/RJ; Angela Maria Gabriella Rossi, UFRJ; César Augusto González Villada, UFRJ; Claudio Falavigna, Universidad Nacional de Córdoba; Diego Hernández, Universidad Católica del Uruguay; Elisabeth Poubel Grieco, UFRJ; Erika Cristine Kneib, UFG; Heloisa Maria Barbosa, UFMG; Juliana Muniz de Jesus Neves, Universidade de Paris; Licinio da Silva Portugal, UFRJ; Lorena de Freitas Pereira, UFRJ; Lucilene Moreira Pedro, UFRJ; Marcelino Aurélio Vieira da Silva, UFRJ; Marcos Ferreira, UFSCAR; Maria Teresa Araujo Cupolillo, UFRJ; Rosane Martins Alves, UFRJ; Suely Sanches, UFSCAR; Thiago Guimarães Rodrigues, Universidade de Leeds, Victor Hugo Gomes Albino, UFRJ.
 
Esta Obra (ISBN: 978-85-7193-305-7) foi publicada pela Editora Elsevier, contando com o apoio do CNPq e a chancela da Anpet e da Rede PGV.
 
 

TRANSPORTE, MOBILIDADE E DESENVOLVIMENTO URBANO

 

Rede Ibero-americana de Estudo em Polos Geradores de Viagens

 

O presente trabalho foi realizado com o apoio do CNPq, Conselho Nacional de

Desenvolvimento Científico  e Tecnológico – Brasil, aos Projetos de Pesquisa

 

nº 304805/2013-0  e  473025/2013-2.

 

   © 2017, Elsevier Editora Ltda.

 Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998.

 Nenhuma parte deste livro, sem autorização prévia por escrito da editora, poderá ser reproduzida ou trans-

mitida sejam quais forem os meios empregados: eletrônicos, mecânicos, fotográfi  cos, gravação ou quaisquer

outros.

 ISBN: 978-85-352-8733-2

 ISBN (versão digital): 978-85-352-8806-3

  Copidesque:  Silvia Lima

  Revisão tipográfi  ca:  Geisa de Oliveira

  Editoração Eletrônica:  Thomson Digital

  Elsevier Editora Ltda.  

  Conhecimento sem Fronteiras

 

Dedico a organização deste livro à memória de minha esposa Nalla, companheira por mais de 40 anos, pela sua capacidade de amar e de me transformar em uma pessoa melhor, sendo fonte permanente de inspiração no exercício de minhas atividades e na construção do conhecimento.

 

O Organizador:

Licinio da Silva Portugal

Engenheiro Civil pela UERJ (1973) com mestrado (1980) e doutorado (1989) em Engenharia de Transportes e Produção pela COPPE/UFRJ, onde atua como professor do Programa de Engenharia de Transportes desde 1976, tornando-se titular em 1992 por meio de concurso público. Professor visitante na Universidad Politécnica de Cataluña (1995/1996). Também desenvolveu pesquisa na Universidade de Londres (1991). Produziu mais de 300 trabalhos, dos quais mais de 30 publicados sob a forma de livros, capítulos e manuais, sendo mais de 150 em anais de congressos e de 50 em periódicos nacionais e internacionais. Orientou mais de 75 teses de doutorado e dissertações de mestrado, tendo participado em mais de 200 bancas de mestrado, doutorado e de concurso público para professores. Responsável pela coordenação de dezenas de projetos de consultoria e de pesquisa, com experiência na área de Engenharia de Transportes, principalmente em: capacidade e desempenho de redes viárias, planejamento de infra-estrutura de transportes e de mobilidade e polos geradores de viagens.

 

Os Autores:

 

Adriana Scovino da Rocha

Graduada em Arquitetura, com mestrado em Engenharia de Transportes pela COPPE-UFRJ, trabalhou na prefeitura de Niterói de 1993 a 2009, atuando em cargos de direção na empresa de trânsito e transporte do município. Dentre as atribuições se destacam projetos viários, de educação para o trânsito e redução de acidentes. Integrou o núcleo de pesquisa em Polos Geradores de Viagens da UFRJ, sendo coautora do capítulo Viagens a Pé, do livro  Polos Geradores de Viagens Orientados a Qualidade de Vida e Ambiental: Modelos e Taxas de Geração de Viagens,  de 2012.

Ana Paula Borba Gonçalves Barros

Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade da Amazônia (2001), mestre em Transportes pela Universidade de Brasília (2006) e doutora em Transportes sob regime de Cotutela pela Universidade de Brasília (2014) e pelo Instituto Superior Técnico (2014). Professora dos cursos de graduação em Arquitetura e Urbanismo e em Engenharia Civil e mestrado em Arquitetura e Urbanismo do UniCEUB (Brasília). Líder do grupo de Pesquisa em Espaços Sociais Urbanos e membro do Comitê Institucional de Análises de Projetos de Iniciação Científi ca do UniCEUB. Atua principalmente nos seguintes temas: configuração urbana, planejamento urbano, mobilidade ativa, desenho  urbano e análise sintática do espaço.

 

Ana Stéfany da Silva Gonzaga

Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Goiás (UFG), com mestrado pelo Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo Projeto e Cidade, da UFG. Atua principalmente nos temas relacionados com transportes, mobilidade e acessibilidade urbana e centralidades. Foi estagiária do Consórcio da Rede Metropolitana de Transporte Coletivo de Goiânia e, atualmente, é pesquisadora em transportes.

 

Andréa Justino Ribeiro Mello

Doutorado em Engenharia de Transportes pela COPPE/UFRJ, concluído em 2015, atuando em linhas de pesquisa relacionadas com acessibilidade orientada à mobilidade sustentável. Mestre em Engenharia de Produção pela COPPE/UFRJ e graduada em Economia pela UFRRJ. Professora do ensino superior do CEFET/RJ, do curso de Engenharia de Transporte, Mobilidade e Desenvolvimento Urbano Produção, desde 2007. Tem experiência profissional em atividades de ensino e de pesquisa nas áreas de gestão da inovação e transportes, acessibilidade, mobilidade e desenvolvimento econômico e social local.

 

Angela Maria Gabriella Rossi

Professora Associada da Escola Politécnica da UFRJ, atuando no Programa de Pós-graduação em Engenharia Urbana (PEU) da POLI/UFRJ. Doutora em Engenharia de Produção pela COPPE/UFRJ (1999). Pesquisadora visitante no Instituto de Urbanismo da Universität Stuttgart (1996-1998) e professora visitante da Universidad Politécnica de Madrid (2009). Coordenadora do Grupo de Pesquisa LabURB - Projetos Urbanos Sustentáveis. Atua nas áreas de planejamento, gestão e projeto urbanos, com ênfase na Sustentabilidade Ambiental. Participou de projetos de pesquisa fi  nanciados pela União Europeia e FINEP relacionados com os temas da urbanização de favelas e da reabilitação urbana, e atualmente desenvolve pesquisas sobre a relação entre forma urbana, mobilidade e clima.

 

César Augusto González Villada

Mestre em Engenharia de Transportes pela COPPE/UFRJ, especialista em Vias e Transportes e Engenheiro Civil pela Universidade Nacional da Colômbia (UNAL). No mestrado trabalhou no desenvolvimento de ferramentas para integrar o planejamento urbano e de transportes, promovendo a prática da mobilidade sustentável. Tem experiência profissional em projetos de mobilidade e transporte nos níveis local, urbano e metropolitano.

 

Claudio Falavigna  

Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Nacional de Córdoba (Argentina, 2006), mestrado em Ciências de Engenharia – Menção Transportes pela Universidade Nacional de Córdoba (2009) e doutorado no Programa de Engenharia de Transportes da COPPE/UFRJ (2015). Atualmente é professor da Universidade Naciona de Córdoba. Tem experiência na área de consultoria em Engenharia de Transportes, com ênfase em planejamento de sistemas de transporte público, pesquisas domiciliares de viagens e mobilidade urbana.

 

Diego Hernández

Sociólogo (Universidade Católica do Uruguai, 1999), mestre em Ciência Política (Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill, 2003) e doutor em Estudos Urbanos (Universidade Católica do Chile, 2012). Atualmente é professor assistente no Departamento de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Católica do Uruguai e desenvolve linhas de pesquisa relacionadas com a dimensão social do transporte. Publicou diversos artigos em revistas científi  cas internacionais (por exemplo,  Transport Policy  e  Journal of Transport Geography ), bem como capítulos de livros e relatórios de pesquisa. Possui experiência em consultoria em questões de mobilidade urbana e foi assessor de instituições internacionais, como CAF, PNUD e UN-Habitat, entre outras.  

 

Elisabeth Poubel Grieco

Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal Fluminense (1991), especialista e Mestre em Engenharia Urbana pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2010 e 2016). Foi Diretora de Planejamento de Trânsito e Transporte na Prefeitura de Niterói (2009 a 2013), atuando nas áreas de pesquisa, projeto e operação de trânsito e transporte público. Atualmente presta consultoria na área de mobilidade.

 

Erika Cristine Kneib

Arquiteta Urbanista, mestre e doutora em Transportes. Desenvolveu pesquisa de pós-doutorado no tema mobilidade urbana, no Instituto Superior Técnico de Lisboa – IST. Atua como professora e pesquisadora na Universidade Federal de Goiás, no curso de Arquitetura e Urbanismo e no Programa de Pós-graduação Projeto e Cidade. Exerce atividades relacionadas com planejamento urbano, transportes e mobilidade urbana em prefeitura municipal, no governo do Distrito Federal e no Ministério das Cidades. Participou de projetos na Universidade de Brasília, Agência Nacional de Transportes Terrestres e Ministério dos Transportes. Desenvolve pesquisas relacionadas com mobilidade urbana, acessibilidade urbana (relação transporte e uso do solo), planejamento urbano e de transportes, centralidades urbanas e transporte público coletivo.

 

Heloisa Maria Barbosa

Engenheira Civil pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1979), mestre em Transportes pela Universidade de Brasília (1990) e doutora em Engenharia de Transportes pela University of Leeds (1995). Professora titular e pesquisadora da Universidade Federal de Minas Gerais do curso de Engenharia Civil e do Mestrado em Geotecnia e Transportes. Atua em projetos e pesquisas relacionados com tráfego urbano, moderação de tráfego, segurança viária, sistemas cicloviários e mobilidade urbana.

 

Juliana Muniz de Jesus Neves

Doutoranda em Geografi  a de Transportes pela Universidade de Paris IV-Sorbonne com fi nanciamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científi co e Tecnológico (CNPq). Possui bacharelado em Geografi  a (UFRJ) e mestrado em Engenharia de Transportes pela COPPE/UFRJ. Atualmente é membro integrante dos grupos de pesquisa ENEC,  Planett  e da Rede PVG, que promovem estudos com foco nas cidades sustentáveis.

 

Lorena de Freitas Pereira

Doutoranda do Programa de Engenharia de Transportes (PET) da COPPE/UFRJ, vem desenvolvendo pesquisa sobre o transporte ativo e a mobilidade em centros urbanos, com foco nas pessoas com defi ciência física. Atualmente está inserida no Núcleo de Planejamento Estratégico de Transportes e Turismo – PLANETT/ UFRJ. Mestre em Engenharia de Transportes pela COPPE/UFRJ, com graduação em Geografi  a (IGEO – UFRJ), participou de projetos fomentados pelo CNPQ – Ministério de Ciências e Tecnologia – FINEP e Ipea.  

 

Lucilene Moreira Pedro

Doutoranda no Programa de Engenharia de Transportes da COPPE/UFRJ com pesquisa sobre Mobilidade Urbana e Desenvolvimento Sustentável. Mestre em Controladoria e Contabilidade pela USP, com Prêmios ABCR (1° lugar) e CRC-SP (3° lugar). Graduada em Ciências Contábeis pela USP. Participou do  Consultative Group on the Methodology for Fieldwork and Effects Analyses  do IASB. Colaboradora do PPP Brasil. Foi consultora do BID para avaliação do Programa de Parcerias Público-Privadas do Governo Federal.

 

Marcelino Aurélio Vieira da Silva

Graduado em Fortifi cação e Construção pelo Instituto Militar de Engenharia (2000), mestrado em Engenharia de Transportes pelo Instituto Militar de Engenharia (2006) e doutorado em Engenharia de Transportes pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013). Atualmente é professor do Programa de Engenharia de Transportes (PET) da COPPE/UFRJ e atua na área de pesquisa em mobilidade urbana e modelos de planejamento de transportes.

 

Marcos Ferreira

Possui Graduação em Engenharia Civil (1977), mestrado em Engenharia de Transportes (1986) e doutorado em Engenharia de Transportes pela Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo (1993). Atualmente é professor titular da Universidade Federal de São Carlos. Tem experiência na área de Planejamento Urbano e Regional, com ênfase em transporte e tráfego urbano e regional, atuando principalmente nos seguintes temas: acessibilidade, análise das condições do pavimento, avaliação da qualidade das calçadas, avaliação das calçadas e acessibilidade de alunos da zona rural.

 

Maria Teresa Araujo Cupolillo  

Engenheira Civil pela EEVA (1982), com Mestrado em Engenharia de Transportes pela COPPE/UFRJ (2006). Trabalha na Divisão de Estudos de Trânsito do DER-RJ desde 1991, atuando no desenvolvimento do banco de dados de acidentes e contagens de trânsito, nos estudos de viabilidade técnica de projetos, no gerenciamento de conflitos entre acessibilidade e mobilidade em travessias urbanas e na área de segurança viária. Recentemente participou como consultora em mobilidade urbana e pesquisadora em Projeto do CNPq com foco na formulação de estratégias orientadas à mobilidade segura e com qualidade ambiental.

 

Rosane Martins Alves

Graduada em Engenharia Civil-USU (1986), doutorado em Engenharia Civil - Estruturas do PEC/COPPE/UFRJ (1997). Professora da UFRJ e do Programa de Engenharia Urbana da Escola Politécnica, nível Mestrado Profi  ssional. Coordenadora da Especialização em Engenharia Urbana,  Lato Sensu , da Escola Politécnica. Atua ministrando disciplinas e orientações, tendo como uma das áreas de pesquisa temas ligados a infraestruturadesenvolvimento e mobilidade no espaço urbano.  

 

Suely Sanches

Engenheira Civil pela Universidade de São Paulo (EESC, 1973), mestre em Arquitetura pela Universidade de São Paulo (1980) e doutora em Engenharia de Transportes pela Universidade de São Paulo (1988). Atualmente é professora titular na Universidade Federal de São Carlos, onde atua no curso de graduação em Engenharia Civil e no curso de pós-graduação (mestrado e doutorado) em Engenharia Urbana. Tem experiência na área de Engenharia de Transportes, com ênfase em planejamento de transportes, principalmente em temas ligados ao transporte não motorizado, transporte de alunos e acessibilidade.

 

Thiago Guimarães Rodrigues

Doutorando em Transportes pela Universidade de Leeds (Inglaterra). Mestre em Planejamento e Desenvolvimento Urbano pela HafenCity Universität Hamburg (Alemanha) com graduação em Comunicação Social, habilitação em Jornalismo e em Ciências Econômicas pela Universidade de São Paulo. Atua com foco nos temas: avaliação de projetos de mobilidade urbana, impactos sociais e distributivos de transportes, transporte e exclusão social e indicadores de acessibilidade.

 

Victor Hugo Gomes Albino

Formado em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN. Foi professor substituto da UFRN e da UFERSA, lecionando, dentre outras, as disciplinas de Engenharia de Tráfego Urbano, Transportes e Tráfego Urbano e Engenharia de Transportes. Possui mestrado em Engenharia de Transportes pela COPPE/ UFRJ, tendo sua dissertação e outros trabalhos publicados em congressos nacionais na área de transportes, com foco em planejamento de transportes, mobilidade em PGVs e bicicletas em viagens a universidades.

 

Apresentação:

 

A preocupação com a mobilidade urbana e seus efeitos é antiga como confi  rmam registros históricos observados em Roma há mais de dois mil anos. O mesmo se verifica com os transportes, com suas distintas modalidades e tecnologias acompanhando a história da humanidade e tendo papel fundamental na ocupação do território e em seu desenvolvimento.

Os transportes se caracterizam por obras de capital intensivo bem como por provocar potenciais externalidades para se atender as necessidades de mobilidade da população, com qualidade a seus usuários e mínimos impactos negativos nas dimensões sociais, econômicas, ambientais e culturais. Tal processo de previsão e tratamento envolve uma dada complexidade que tende a aumentar no Brasil fruto do seu notável crescimento de urbanização, de metrópoles cada vez maiores e do aumento signifi  cativo da taxa de motorização, também pelas desigualdades espaciais observadas em nossas metrópoles, em termos de infraestrutura e serviços de transportes, bem como de oportunidades, como empregos, que acentuam a difi  culdade para administrá-las. Por outro lado, se os transportes causam problemas (congestionamentos, acidentes de trânsito, degradação ambiental) podem também se tornar veículos de mudanças e melhorias sociais, sendo, para isto, imprescindível o uso do planejamento e projetos devidamente fundamentados por técnicas apropriadas e profi  ssionais capacitados. Apesar disso, o planejamento em nosso país é pouco valorizado. Um exemplo é que o a partir da Lei n   12.587/12, conhecida como Lei Nacional de Mobilidade Urbana, passou a ser obrigatória, aos municípios com mais de 20 mil habitantes, a elaboração de Planos de Mobilidade Urbana, entretanto, sabe-se que relativamente poucos municípios realizaram seus planos. Dentre os diversos fatores causais para que isto tenha ocorrido, um deles refere-se ao uso de abordagens tradicionais, criticadas pela ênfase dada ao tráfego motorizado e, em particular, aos automóveis, a não aderência às especifi  cidades locais e por compreenderem recursos fi  nanceiros e técnicos tipicamente não disponíveis nas prefeituras.

A preocupação com a sustentabilidade provocou mudanças de paradigmas no planejamento de transportes, da mobilidade e do desenvolvimento urbano, destacando a função da acessibilidade e contemplando avanços metodológicos que representam um grande desafio técnico e científico no âmbito internacional. O mesmo vale ao significado e   utilização dos conceitos intervenientes neste processo como “transportes, acessibilidade, mobilidade e sustentabilidade”, para os quais se constata ainda um uso indiscriminado e muitas vezes confuso destes termos, justifi  cando delimitá-los, fundamentá-los e melhor entender a relação entre eles. Neste contexto se insere este livro que fornece um arcabouço conceitual e uma concepção metodológica – devidamente sistematizados e respaldados com base em ampla revisão bibliográfi ca – que podem contribuir para aprimorar e complementar as abordagens tradicionais destinadas à realização de planos de mobilidade. Esta obra tem como alvo 3 campos típicos de aplicação: o urbano (no âmbito da cidade ou me- trópole), o local (considerando o TOD –  Transit Oriented Development ) e os Polos Geradores de Viagens (com ênfase nas universidades). O procedimento proposto busca resgatar o protagonismo da mobilidade, objeto destes planos, e valorizar o papel da acessibilidade como instrumento de transformação dos padrões de viagens com foco na sustentabilidade. Para tal protagonismo, sugere-se conhecer a quantidade de pessoas que se deslocam, com quais motivos e em que condições isto ocorre – o que pode expressar a mobilidade – e se ela, a mobilidade existente, satisfaz ou não as necessidades da população e sua qualidade de vida. Caso não, qual mobilidade deve ser considerada como meta e quais mudanças na acessibilidade devem ser implementadas, atuando não só nos transportes, mas também aproximando as atividades das pessoas por meio de intervenções no uso do solo e na estrutura urbana. O Livro — que conta com a participação de 22 pesquisadores atuando em 10 Universidades do Brasil, Argentina, França, Reino Unido e Uruguai — é constituído, além da Introdução, por capítulos organizados em três blocos. No bloco I, pretende-se contextualizar e caracterizar os principais conceitos objeto desta publicação, envolvendo o transporte, bem como a mobilidade das pessoas e o desenvolvimento urbano, incluindo, introdutoriamente, a acessibilidade na busca pela sustentabilidade. No bloco II, estrutura-se o procedimento proposto, baseado na acessibilidade orientada à mobilidade sustentável. No bloco III, são apresentados alguns exemplos que servem para reforçar os conceitos e procedimentos formulados anteriormente. Eles serão elaborados a partir dos principais atributos que expressam a mobilidade sustentável, e que devem ser perseguidos, buscando medidas e estratégias voltadas à acessibilidade. Esta, por definição, considera coordenadamente ações em transportes e no uso do solo, com vistas a se construir condições de acessibilidade que incentivem escolhas mais sustentáveis, dentre as quais o uso das modalidades menos agressivas ambientalmente, mais efetivas socialmente e economicamente e com qualidade para seus usuários. Ressalta-se que o planejamento pressupõe mudanças e partilha de poder, além de explicitar compromissos com a população e os interesses coletivos, o que pode instigar possíveis resistências por parte de alguns grupos infl  uentes benefi  ciários do  status quo , típico de países desiguais, como o Brasil. Nesse cenário, para que os Planos de Mobilidade cumpram com a sua missão transformadora, são essenciais processos de decisão participativos, transparentes e respaldados política e tecnicamente em nossas cidades e metrópoles. Espera-se que a concepção proposta neste livro contribua com construção deste ambiente de análise e decisão, considerando que ela: a) é defendida por vários trabalhos científicos e por práticas bem-sucedidas; b) proporciona uma abordagem articulada dos conceitos de transporte, acessibilidade e mobilidade, permitindo melhor compreender a função e as potencialidades de cada um deles e de como aproveitá-los para promover a mobilidade e o desenvolvimento urbano sustentáveis; c) estimula uma visão interdisciplinar e integrada entre transporte e uso do solo na formulação das estratégias, derivadas da mobilidade atual e comprometidas com a mobilidade sustentável; d) é simples e fl exível colaborando para a sua exequibilidade e compatibilidade com as nossas especifi  cidades; e) inspira uma mobilidade alicerçada em estratégias de acessibilidade focadas em princípios fundamentais, como redução das desigualdades, inclusão e justiça social, redução da violência no trânsito, preservação ambiental e garantia de um serviço de transporte mais igualitário e digno para toda a população.  

 

Estrutura do Livro e Autores:

 

 

 

  1 Um panorama inicial sobre transporte, mobilidade, acessibilidade

e desenvolvimento urbano 1

Licinio da Silva Portugal e Andréa Justino Ribeiro Mello

1.1. Evolução temporal dos principais elementos e conceitos relacionados

com a mobilidade urbana 1

1.2. Críticas ao planejamento dos transportes baseado na abordagem tradicional 8

1.3. Planejamento integrado dos transportes: abordagens alternativas e o papel

da acessibilidade 9

 1.4. Considerações finais 11

 

2 Desenvolvimento e mobilidade sustentáveis 19

Lucilene Moreira Pedro, Marcelino Aurélio Vieira da Silva  e Licinio da Silva Portugal

2.1. Considerações iniciais 19

2.2. Desenvolvimento sustentável 20

2.3. Mobilidade sustentável 24

2.4. Relação entre mobilidade e desenvolvimento urbano 30

2.5. Considerações fi  nais 32

 

3 Índices de desenvolvimento e mobilidade sustentáveis 39

Licinio da Silva Portugal e Marcelino Aurélio Vieira da Silva

3.1. Considerações iniciais 39

3.2. Índices e indicadores de desenvolvimento sustentável 40

3.3. Mobilidade sustentável 45

3.4. Mobilidade urbana sustentável: revisão de seus índices 50

3.5. A concepção proposta para um índice de mobilidade sustentável 53

3.6. Considerações fi  nais 58

 

4 Caracterização da acessibilidade e suas relações com a mobilidade

e o desenvolvimento 65

Erika Cristine Kneib e Licinio da Silva  Portugal

4.1. Caracterização da acessibilidade 65

4.2. Contextualização da acessibilidade 67

4.3. Acessibilidade e suas relações com a mobilidade e o desenvolvimento 70

4.4. Escalas espaciais 73

4.5. Acessibilidade infl  uenciando escolhas e padrões de viagens sustentáveis 77

4.6. Considerações finais82

 

5 Concepção de uma abordagem baseada na acessibilidade e orientada à

mobilidade sustentável na realização de planos e estudos de mobilidade 89

Andréa Justino Ribeiro Mello, César Augusto González Villada, Victor Hugo Gomes Albino

e Licinio da Silva Portugal

5.1. Considerações iniciais 89

5.2. Plano estratégico de mobilidade sustentável para metrópoles 90

5.3. Concepção de um plano estratégico de mobilidade sustentável

no âmbito local – TOD 97

5.4. Concepção de um plano de mobilidade sustentável

em PGV – Polo gerador de viagens: caso das universidades 104

5.5. Considerações fi 113  nais

5.6. Exercícios 114

 

6 Macroacessibilidade orientada à equidade e à integração com o território 119

Erika Cristine Kneib,  Andréa Justino Ribeiro Mello e Ana Stéfany da Silva Gonzaga

6.1. Considerações iniciais 119

6.2. Caracterização da macroacessibilidade 121

6.3. Caracterização e análise dos indicadores disponíveis com foco no papel

da macroacessibilidade 122

6.4. Indicadores propostos de macroacessibilidade e sua relação com os atributos

127 da mobilidade

6.5. Considerações fi 130  nais

6.6. Exercícios 131

 

7 Mesoacessibilidade orientada ao transporte público e ao não

motorizado com foco no desenvolvimento equilibrado e autônomo 135

Andréa Justino Ribeiro Mello e Erika Cristine Kneib

7.1. Considerações iniciais 135

7.2. Caracterização da mesoacessibilidade 138

7.3. Caracterização e análise dos indicadores com foco no papel da mesoacessibilidade 140

7.4. Indicadores propostos de mesoacessibilidade e sua relação com os atributos da

mobilidade 143

7.5. Considerações fi  nais 146

7.6. Exercícios 147

 

8 Microacessibilidade orientada ao transporte não motorizado 151

Elisabeth Poubel Grieco, Ana Paula Borba Gonçalves Barros, César Augusto González

Villada, Suely Sanches, Marcos Ferreira e Licinio da Silva Portugal

8.1. Caracterização da microacessibilidade e seus princípios orientados

à mobilidade e ao desenvolvimento sustentáveis 151

8.2. Caracterização dos 5Ds, seus indicadores e infl  uência na geração

de viagens sustentáveis 153

8.3. Métodos e respectivos indicadores usados na análise do ambiente construído 159

8.4. Indicadores de microacessibilidade propostos e sua relação com os atributos

da mobilidade 160

8.5. Considerações fi 169  nais

8.6. Exercícios 170

 

9 Mobilidade sustentável e o TOD - desenvolvimento orientado

ao transporte 175

César Augusto González Villada, Elisabeth Poubel Grieco, Suely Sanches, Marcos

Ferreira e Licinio da Silva Portugal

        9.1 Caracterização do TOD como instrumento da mobilidade sustentável

9.2. Metodologias disponíveis e uma abordagem alternativa 178

9.3. Uma aplicação do procedimento proposto 180

9.4. Considerações finais 187 

9.5. Exercícios 188

 

10 Mobilidade segura 191

Maria Teresa Araujo Cupolillo, Heloisa Maria Barbosa e Licinio da Silva Portugal

10.1. Caracterização da mobilidade segura 191

10.2. Abordagem tradicional e alternativas para o planejamento

e a segurança de trânsito 193

198 10.3. Condições de acessibilidade para uma mobilidade segura

202 10.4. Estratégias de acessibilidade para uma mobilidade segura

207 10.5. Exemplo de aplicação de estratégias para uma mobilidade segura

10.6. Considerações fi  nais 212

10.7. Exercícios 213

 

11 Mobilidade inclusiva 219

Claudio Falavigna, Thiago Guimarães Rodrigues e Diego Hernández

11.1. Caracterização da mobilidade inclusiva 219

11.2. Relação entre transporte, acessibilidade e exclusão 222

11.3. Os grupos sociais mais afetados 225

230 11.4. Indicadores da mobilidade inclusiva

11.5. Mobilidade inclusiva e sua relação com a acessibilidade 232

11.6. Exemplos 234

11.7. Considerações fi  nais 237

11.8. Exercícios 238

 

12 Mobilidade justa socialmente 243

Claudio Falavigna, Thiago Guimarães Rodrigues e Diego Hernández

12.1. Caracterização da mobilidade justa socialmente 243

12.2. Aspectos intervenientes na mobilidade justa socialmente e seus indicadores 245

12.3. Mobilidade justa socialmente e sua relação com o conceito de acessibilidade 248

12.4. Exemplos 260

12.5. Considerações fi  nais 262

12.6. Exercícios 263

 

13 Mobilidade produtiva 269

Rosane Martins Alves, Angela M. Gabriella Rossi  e Licinio da Silva Portugal

13.1. Caracterização da mobilidade produtiva e seus indicadores 269

13.2. Mobilidade produtiva e sua relação com a acessibilidade 272

13.3. O modelo nó-lugar como procedimento para alcançar a mobilidade

275 produtiva em corredores e estações metroferroviárias

281 13.4. Exemplos

13.5. Considerações fi 285  nais

13.6. Exercícios 286

 

14 Mobilidade verde 289

Maria Teresa Araujo Cupolillo, Adriana Scovino da Rocha e Licinio da Silva Portugal

14.1. Caracterização da mobilidade verde 289

14.2. Abordagem tradicional 293

14.3. Alternativas para o planejamento urbano e a mobilidade verde 296

14.4. Condições de acessibilidade para uma mobilidade verde 300

14.5. Estratégias de acessibilidade para uma mobilidade verde 303

14.6. Exemplos de sucesso 305

14.7. Considerações fi  nais 310

14.8. Exercícios 311

 

15 Mobilidade com qualidade 319

Juliana Muniz de Jesus Neves, Lorena de Freitas Pereira e Licinio da Silva Portugal

15.1. Introdução 319

15.2. Base conceitual 320

15.3. Procedimento proposto 324

15.4. O caso dos pedestres 328

15.5. Considerações finais 332

15.6. Exercícios 333

 

Patrocinadores

 

               

Colaboradores